18 de julho de 2018

Pacientes de araçuaí ficam sem máquina de lavar

Máquina de lavar quebrada causa transtornos à pacientes da cidade de Araçuaí. Eles estão em casa de apoio em Belo Horizonte. O conserto estaria em torno de R$ 400,00


Casa de apoio em B.H
Como se não bastassem os transtornos de uma viagem exaustiva de ônibus, de pelo menos 12 horas,  pacientes que saem de Araçuai, no Vale do Jequitinhonha em busca de tratamento de saúde em Belo Horizonte; estão enfrentando um outro constrangimento: lavar banheiros e as roupas de cama que utilizam na casa de apoio mantida pela prefeitura na capital mineira.

Há mais de uma semana, a máquina de lavar roupas do local, está quebrada. O coordenador da casa, Carlos Júnior, confirmou a informação. Ele disse que já solicitou à Secretaria Municipal de Saúde, recursos para o conserto. “ Fizemos os orçamentos e o preço mais em conta está em torno de R$ 400 reais”, disse ele , acrescentando que pediu à secretaria que informasse aos pacientes para levarem suas próprias roupas de cama para evitar esse tipo de procedimento. “ Muitos pacientes não trazem. O acompanhante deles acabam tendo que realizar o serviço”, afirmou Júnior.

A Casa de Apoio; localizada na rua Juramento 630 no bairro Saudade tem  3 quartos e capacidade para alojar 35 pessoas. Elas dormem em beliches. A maioria é de pacientes residentes em Araçuai,  que realizam tratamento contra o câncer, como  radioterapia e quimioterapia. Dependendo do tratamento, há pacientes que permanecem na Casa por mais de uma semana.

“As longas viagens ocorrem por falta de serviços de atendimento à saúde de média e alta complexidade na região. Os pacientes e acompanhantes chegam exaustos e ainda precisam fazer este tipo de serviço. É falta de consideração, respeito e descaso da prefeitura”; lamentou uma dona de casa que utiliza os serviços e pediu para não ser identificada. Ela contou que muitas vezes faltam, gás e alguns gêneros alimentícios, e que os usuários acabam dividindo as despesas.

Enquanto o equipamento não é levado para a manutenção, as roupas de cama e banho sujas se acumulam. " É  muita roupa. Lamentável esta situação. Deveriam dar mais atenção e carinho aos  usuários"; observou uma acompanhante de um paciente.
A casa não possui eletrodoméstico adequado para passar as roupas. " As roupas vão para cama sem passar", informou o responsável pelo local. Um ferro de passar industrial custa entre R$ 500 a R$ 900 reais.

Além de um coordenador, a prefeitura mantém uma serviçal na casa, responsável pela cozinha. São servidos café da manhã, almoço e jantar.
.
A assistente social Gemima Costa Pereira, informou que está orientando os pacientes para levarem as roupas de cama e produtos de higiene pessoal. “ Pedimos aos acompanhantes que ajudem na manutenção da casa”, destacou a funcionária.

Sobre a demora na liberação do recurso para o conserto da máquina, ela disse que somente a secretária de Saúde poderia informar.

A secretária de Saúde, Rita Capdeville, que é médica e atual vice-prefeita, não foi localizada para comentar o assunto. Na secretaria informaram que ela não tem horário fixo no local e negaram a fornecer o número do celular dela.

Fonte: Gazeta de Araçuaí


12 de julho de 2018

Famílias do vale do Jequitinhonha recebem cestas da LBV

Muitas pessoas enfrentam desafios diários para alimentar a todos da família. Se em grandes centros os empregos estão cada vez mais difíceis, imagina nesses locais, onde as oportunidades são mais escassas
Jenipapo de Minas
Foto: Viviane de Oliveira
Entre os dias 18 e 21 de junho, a equipe da Legião da Boa Vontade (LBV) saiu de Belo Horizonte e chegou ao Vale do Jequitinhonha para entregar 1.500 cestas de alimentos a famílias em situação de vulnerabilidade social e pessoal.


Cidades atendidas
Por meio da campanha Diga Sim!, da LBV, moradores de Araçuaí, Berilo, Chapada do Norte, Francisco Badaró, Jenipapo de Minas, José Gonçalves de Minas e Virgem da Lapa foram beneficiados com esta ação. Essas famílias foram identificadas por entidades parceiras, que a LBV já possui um trabalho por intermédio da Rede Sociedade Solidária.

Ao receber a cesta, Rita Modesto Teixeira, do município de Jenipapo de Minas, contou um pouco sobre a situação dos moradores da região: “Aqui é um lugar de pouca chuva e a colheita é ruim. Somos pessoas que precisam bastante de auxílio. É um prazer receber essa doação que tanto vai me ajudar”.

A família de Maria da Glória foi uma das atendidas na cidade de Berilo. Ela nos contou que muitas vezes precisa fazer a triste escolha da aquisição de remédios ou algum alimento. Emocionada com o presente recebido, ela não vê a hora de chegar em casa: “vai ser uma alegria imensa porque vai ter comida para todo mundo”.

Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, alguns municípios já decretaram situação de emergência ou estado de calamidade pública devido à seca e a estiagem. Com isso, fica cada vez mais difícil o desenvolvimento da agricultura usada para a subsistência. Isso é motivo de desânimo? Não! Neide Rodrigues Vieira, de Jenipapo de Minas, conta que nunca perdeu as esperanças e que esse sentimento se fortaleceu com ação da LBV: “Eu tinha certeza que Deus não ia me deixar de mãos vazias, então hoje eu estou de mãos cheias. Essa cesta é uma bênção! ”.




Berilo, Rosalina de Paula
Foto: Viviane de Oliveira
Rosalina Paula de Souza, moradora do município de Berilo, também agradeceu: “Desejo que Deus abençoe todos os colaboradores, que vocês continuem realizando esse trabalho porque muitas pessoas estão felizes com isso, incluindo eu”.
A campanha Diga Sim!, da LBV, é uma ação emergencial, que está distribuindo cestas de alimentos em locais mais necessitados e cobertores de frio em locais onde o inverno é mais rigoroso. E tudo isso graças à ajuda de pessoas de Boa Vontade e que possuem amor pelo próximo. 

Fonte: LBV

Unidade do corpo de bombeiros é inaugurada em Almenara

A região  era atendida pelo 6º Batalhão de Governador Valadares a 281 km de Almenara

Foto: Agência Minas
A cidade de Almenara no baixo Jequitinhonha, já tem um pelotão  do Corpo de Bombeiros. A unidade foi inaugurada pelo governo de Minas em parceria com a prefeitura, o imóvel está em fase final de adaptação no aeroporto da cidade. 
Municípios atendidos
Serão atendidos os municípios de Bandeira, Divisópolis, Felisburgo, Jacinto, Jequitinhonha, Joaíma, Jordânia, Mata Verde, Monte Formoso, Palmópolis, Rio do Prado, Rubim, Salto da Divisa, Santa Maria do Salto e Santo Antônio do Jacinto.
Até então a região  era atendida 6º Batalhão de Governador Valadares, distante 281 km de Almenara.
Meta de 120 unidades até 2026

A meta do Plano de Comando do governo de Minas é levar cobertura a todos os municípios com mais de 30 mil habitantes até 2026, o que significa aumentar das 72 para 120 unidades. Em alguns casos, municípios com mais de 15 mil habitantes também poderão receber postos dos Bombeiros.
Para todas as unidades, o Estado formaliza parceria com as prefeituras que ajudam na cessão de instalações, entre outras necessidades, como custeio e manutenção de viaturas. Segundo o subchefe da Seção de Instrução e Operações do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, capitão Marcos Anderson Viana Soares, a elevação de uma unidade ou a criação se dá após estudo técnico minucioso.
Os critérios observados para a existência de unidade dos Bombeiros são: população, participação do município no PIB, número de veículos emplacados, grau de urbanização, número de edificações comerciais e industriais, distância entre o município e a fração de Bombeiros mais próxima, número de óbitos por causas externas, patrimônio histórico instalado, região lacustre por número de afogamentos, área ambiental protegida, aeroporto/aeródromo, Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
Fonte: Agência Minas 

11 de julho de 2018

Emenda poderá ser saída para asfaltamento da BR-367


Br-367 a novela continua...confira mais um capítulo.
A curto prazo não será possível garantir o asfaltamento, porque a proposta não consta do PPA 2015-2019, afirma o deputado federal Zé Silva (SD-MG)   
Foto: Daniel Protzne
Uma emenda da bancada parlamentar mineira no Plano Plurianual (PPA) do governo federal, para o período 2020-2024, pode ser a saída para garantir recursos para o asfaltamento da BR-367, nos trechos que ligam Minas Novas a Virgem da Lapa e Almenara a Salto da Divisa, no Vale do Jequitinhonha. A proposta foi defendida durante audiência pública da Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda-feira (9/7/18).

Deputados federais e estaduais, políticos locais e lideranças comunitárias defenderam a união de esforços, de forma suprapartidária, para levar adiante a proposta de pavimentação da BR-367 nos trechos que envolvem cidades da região. Segundo os relatos, há anos a população local sofre com trechos de estrada de terra esburacados, às vezes intransitáveis, que isolam comunidades inteiras, com prejuízos econômicos e sociais.
A maioria dos convidados da reunião, convocada pelo presidente da comissão, deputado Doutor Jean Freire (PT), concordou que sem um esforço coletivo da bancada federal mineira não será possível modificar a situação.
Deputados dizem ter compromisso com a causa
“A Região do Vale do Jequitinhonha sempre foi, historicamente, negligenciada”, lamentou o presidente da comissão, que destacou o compromisso de seu mandato com a luta pela pavimentação da estrada.
O deputado federal Zé Silva (SD-MG) destacou que a 367 liga o Sudeste ao Nordeste do Brasil, tendo por isso importância estratégica. Mas observou que a curto prazo não será possível garantir o asfaltamento, porque a proposta não consta do PPA 2015-2019. Na elaboração do plano, disse, chegou a apresentar emendas pedindo a pavimentação, mas elas não foram acatadas.
Por isso, entende que a primeira ação a ser feita é, em 2019, incluir uma emenda da bancada mineira no PPA 2020-2024, solicitando a destinação de recursos para a obra.
O deputado federal Diego Andrade (PSD-MG) também defendeu a união de forças para vencer as dificuldades. Integrante da Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados, afirmou que a 367 é uma obra emblemática e que a rodovia foi construída no governo de Juscelino Kubitschek para conectar a chamada Região do Descobrimento, no litoral do Sul da Bahia, a Minas Gerais, chegando até Brasília (DF).
Também reafirmou seu compromisso com a causa o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), salientando que a 367 é instrumento para a retomada do crescimento econômico. Ele criticou o governo federal pelo corte de R$ 600 milhões do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, o Dnit. “Isso é inconcebível, porque o único caminho para sair da crise é o Estado brasileiro fazer obras, o que gera emprego e impulsiona a economia”, afirmou.
Para o deputado federal Mauro Lopes (MDB-MG), o problema não é exclusivo do atual governo, uma vez que há décadas a população reivindica, em vão, a pavimentação da estrada. Também integrante da Comissão de Viação e Transportes, ele acha que o importante é a bancada dos parlamentares mineiros trabalhar para incluir recursos para o setor, no orçamento da União.
O deputado Padre João (PT-MG) também reafirmou a necessidade de um compromisso real da bancada mineira para fazer com que o governo federal “enxergue como obra estratégica e importante do ponto de vista social a pavimentação da 367”.
Dificuldades - O superintendente do Dnit-MG, Fabiano Martins Cunha, afirmou que a sua equipe tem comprometimento, mas esbarra em dificuldades administrativas, burocráticas e legais, como as exigências ambientais, que não podem deixar de ser cumpridas.
“Estamos aguardando disponibilidade orçamentária para começar a obra entre Salto da Divisa e Jacinto; para Minas Novas e Virgem da Lapa temos um anteprojeto, e conseguimos a licença provisória que nos permite licitar, mas também não temos como abrir sem orçamento”, justificou.
Lideranças exigem dignidade e respeito
Anisio Reis Lemos Soares (representante do Movimento Filhos do Vale)
Foto: Daniel Protzne

Anísio Reis Lemos Soares, do Movimento Filhos do Vale, ressaltou que a população do Jequitinhonha “não está pedindo esmola", mas exigindo reconhecimento por tudo o que a região significa para o Estado e o País.


Diogénes Timo Silva (prefeito de Virgem da Lapa)
Foto: Daniel Protzne

O prefeito de Virgem da Lapa, Diógenes Timo Silva, também entende ser necessário que os 53 deputados federais de Minas se unam, acima de questões partidárias. “O Vale sempre foi abandonado, estamos acostumados com isso e passamos a herança da injustiça para nossos filhos e netos”, lamentou. 



 Liliana de Mendonça Porto(UFPR)
Foto: 
Daniel Protzne
Estudiosa da cultura e do modo de vida da população do Jequitinhonha, a professora de Antropologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Liliana de Mendonça Porto disse que é preciso “romper com o racismo institucional”. A pesquisadora afirma que a população do Jequitinhonha é formada em mais de 80% por negros descendentes de escravos.
Segundo ela, além do risco de acidentes, a ausência de pavimentação nas estradas resulta em outros problemas graves, como a falta de abastecimento de água e saneamento e a dificuldade de acesso a infraestrutura básica de saúde e educação.
Ao final da audiência, o deputado Doutor Jean Freire apresentou requerimentos para dar encaminhamento às questões discutidas. Entre as solicitações, está a sugestão de que a bancada mineira obstrua, no Congresso Nacional, a votação de projeto que prevê a retirada de recursos para intervenções na BR-367.
Fonte: ALMG


Diamantina:Violência de gênero é debatida em audiência



Denúncias na região do Jequitinhonha motivou audiência pública realiza pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG)
Foto: Luiz Santana
repressão por si só, sem o acompanhamento de medidas preventivas, é ineficiente para reduzir os índices de violência contra as mulheres e é preciso a participação de toda a sociedade na prevenção desses crimes.
Essa foi uma das conclusões dos participantes da audiência pública sobre o assunto, realizada pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) nesta segunda-feira (9/7/18). 

reunião foi realizada em Diamantina (Alto Jequitinhonha)) e motivada pelo aumento das denúncias desse tipo de violência na região.
Crimes de ameaças
Foram 198 registros de crimes como ameaças e lesão corporal contra mulheres nos primeiros seis meses do ano em Diamantina, Datas e Felício dos Santos, todos municípios da Região Central. Os dados foram apresentados pelo subcomandante do 3º Batalhão da Polícia Militar, Major Glauber Santos Barroso, que lembrou que os dados incluem dois casos de homicídio e dois de estupro.
“As ocorrências têm aumentado e isso nos preocupa”, disse. Ele ainda completou que os policiais estão recebendo treinamentos especiais para atender as vítimas nesses casos.
Nesses quatro fatos mais graves, bem como em outras das quase 200 ocorrências registradas, os agressores já foram localizados, como ressaltou a delegada civil Kiria Silva Orlandi, da delegacia especializada de atendimento à mulher em Diamantina. Mas, segundo ela, isso não é suficiente.
“O aspecto punitivo é importante, mas sozinho não resolve o problema. Não dá para tirar o agressor do lar, colocar no ambiente prisional e dizer que o problema dela está resolvido”, explicou, ressaltando o quadro comum de dependência financeira e emocional das vítimas.
Relação com o agressor dificulta prevenção
Delegada Kiria Orlandi
Foto: Luiz Santana
O fato de a maior parte dos casos de violência contra a mulher ter como autor companheiros ou outros familiares é, para a delegada e para os demais presentes, o maior dificultador para ações de prevenção.
“Já fui perguntada sobre o porquê de uma delegacia para mulheres se a maior parte das mortes violentas são de homens jovens. Sim, é verdade, mas os homens morrem por múltiplas causas, de trânsito a envolvimento com a criminalidade. As mulheres, em 90% dos casos, morrem por um único motivo: a cultura machista que as coloca como propriedade de um homem”, afirmou.
Assim, Kiria Orlandi defende, entre outras coisas, que seja cumprida a Lei Maria da Penha, que define que o debate sobre igualdade de gênero deve fazer parte dos currículos escolares. Para a delegada, a violência contra a mulher cresce em um ambiente de cultura machista e só a mudança dessa cultura pode fazer com que esse quadro melhore. 
Nesse sentido, a secretária de desenvolvimento social de Diamantina, Maria do Carmo Ferreira da Silva, anunciou que o Conselho da Mulher acaba de ser aprovado no município. “Os conselhos precisam cumprir efetivamente seus papeis, que são de denunciar também, mas não apenas. É preciso que eles sejam propositivos”, disse.
Debate - A necessidade de debater o assunto e de discutir questões de gênero nas escolas foi considerada essencial para os presentes na prevenção de violências contra as mulheres. A coordenadora da Rede de Mulheres do Alto Jequitinhonha, Helen Perrela, disse que o grupo surgiu em decorrência de feminicídios recentes registrados na região. Uma das principais ações do grupo é a criação de um fórum permanente que percorre as cidades da região para debater essas questões.
Aplicativo – A delegada civil Kiria Orlandi anunciou, durante a reunião, que em algumas semanas será oficialmente lançado um aplicativo, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, que vai facilitar o acesso às medidas protetivas em vigência. Segundo ela, a polícia atualmente não tem acesso ao banco de dados que indica quais são as medidas deferidas e indeferidas, o que seria resolvido pelo aplicativo.
Tratamento de agressores não é unânime
O deputado Cristiano Silveira (PT), presidente da comissão e autor do requerimento que deu origem à reunião, destacou a sanção da Lei 22.256, de 2016, que criou a política estadual de atendimento à mulher vítima de violência.
Ele também lembrou do Projeto de Lei 4.432/17, de sua autoria, que, se aprovado, vai criar uma bolsa transitória para ajudar as mulheres que dependem financeiramente dos seus agressores e, concomitantemente, oferecer a elas cursos de capacitação para ajudá-las a ingressar no mercado de trabalho.
O parlamentar defendeu também o tratamento dos agressores. Ele lembrou que no Brasil não há pena perpétua e, assim, esses homens sairão em algum momento da prisão e é preciso pensar sobre como as penitenciárias têm devolvido as pessoas à sociedade.
Para ele, os altos índices de reincidência criminal demonstram que aqueles que cumprem pena acabam depois cometendo crimes ainda mais graves. 
Nesse ponto, a delegada Kiria Orlandi discordou do parlamentar e disse que não acredita em tratamento dos agressores, porque isso implicaria em redução de poder, no sentido de convencer esses homens que eles não são donos dessas mulheres. “E fazer alguém abrir mão de poder não é fácil”, disse. Para ela, os investimentos devem ser no empoderamento das mulheres e em educar para que não se formem novos agressores.
Demandas - Ao fim da reunião, alguns dos presentes se manifestaram para tirar dúvidas e fazer propostas. Uma das demandas foi a de criação de uma casa de apoio na região para receber as mulheres vítimas de violência. Também foi solicitado um trabalho mais direto dentro das universidades da região, já que foram citadas denúncias de assédios e violências nesses espaços. Consulte o resultado da reunião.
Fonte: ALMG

25 de junho de 2018

Araçuaí: por falta de emendas cidade não recebe veículos doados pelo Governo de Minas

Entre eles, há ambulâncias, minivans e veículos de passeio


Foto: Marcelo Sant’Anna
Governo de Minas Gerais entregou nesta quinta-feira (21/6), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, 247 veículos para 202 municípios do Estado. Entre os modelos estão 88 ambulâncias que irão reforçar o atendimento à saúde dos mineiros no interior. Ao todo, foram investidos R$ 16 milhões, oriundos de emendas parlamentares apresentadas pelos deputados.

Mais uma vez Araçuai ficou de fora dos benefícios; apesar de ter dois deputados da base do governo Pimentel votados no município: Jean Freire; que é filho do Vale do Jequitinhonha e residente em Araçuai, onde obteve 8.084 votos e André Quintão; 1.159 votos. Os dois deputados; bem como o prefeito de Araçuai, Armando Paixão, são do PT-partido do governador.

Do total de veículos, 147 foram doados via Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e outros 100 por meio da Secretaria de Estado de Governo  (Segov). Entre eles, há ambulâncias, minivans e veículos de passeio. Nos municípios, eles irão auxiliar, por exemplo, no transporte de pacientes, e em outras funções administrativas que aprimorem o serviço público.

Procurados pela reportagem, os deputados dr. Jean e André Quintão, não foram localizados para comentar o assunto.

Além de diversos prefeitos,acompanharam as entregas o secretário de Estado de Saúde em exercício, Nalton Moreira; os deputados estaduais André Quintão, Rogério Correia, Arlete Magalhães, Antônio Lerin, Celise Laviola, Cristiano Silveira, Dirceu Ribeiro, Duarte Bechir, Elismar Prado, Emidinho Madeira, Fábio Avelar, Gustavo Santana, Hely Tarquínio, Isauro Calais, João Magalhães, Léo Portela, Leonídio Bouças, Mário Henrique Caixa, Neilando Pimenta, Nozinho, Paulo Guedes, Ricardo Faria, Thiago Cota e Ulysses Gomes. 

Cidades do Vale do Jequitinhonha beneficiadas

Almenara

Berilo

Comercinho

Coronel Murta

Carbonita

Diamantina

Felisburgo

Francisco Badaró

Jenipapo de Minas

Minas Novas

Virgem da Lapa

Fonte: Gazeta de Araçuaí

Situação da BR-367 é discutida em audiência pública

Comissão de Participação Popular aprova requerimento para discutir situação da rodovia, que precisa de asfaltamento.

A situação precária da BR-367, especialmente em trechos do Vale do Jequitinhonha, entre os municípios de Minas Novas e Virgem da Lapa e entre Almenara e Salto da Divisa, todos eles não pavimentados e que precisam ser asfaltados para melhorar o acesso à região.
Esse é o tema discutido em audiência pública aprovada em reunião da Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), no dia (20/6/18). O requerimento é de autoria do presidente da comissão, deputado Doutor Jean Freire (PT).
A BR-367 foi construída no governo de Juscelino Kubitschek para ligar a  chamada Região do Descobrimento, no litoral do Sul da Bahia, a Minas Gerais, chegando até Brasília (DF). Mas como muitos trechos são de terra, em vez de unir essas regiões do Brasil, a rodovia acaba isolando populações, especialmente do Jequitinhonha, na época chuvosa, quando a estrada fica intransitável.

27 de novembro de 2014

Turmalina: gestante espera 15 horas por cesárea e bebê morre antes do parto

Descaso ? 

O médico responsável pela internação optou por não fazer a cesária e foi embora

Os pais de uma criança que morreu antes do parto em Turmalina, Alto Jequitinhonha, acusam o hospital São Vicente de Paula de negligência médica. Segundo Romário Sena Santana, a mulher dele estava grávida de 42 semanas e foi internada na segunda-feira (17), mas esperou 15 horas até que fizessem a cesária.


“Ela foi internada às 13h e chegou a ser medicada para induzir o parto normal, mas não fazia efeito. O médico responsável pela internação optou por não fazer a cesária e foi embora. Somente às 4h da manhã, quando o coração da criança não batia mais, fizeram o parto”, afirma o pai.
O casal afirma que durante a gestação tudo ocorreu bem com a mãe e com a criança. “Fizemos todo possível. Ela fez todo o pré-natal e estava tudo normal. Em nenhum momento apresentou alteração”, diz Romário.
Desesperado, Romário procurou o Ministério Público para fazer uma denúncia de negligência médica. O promotor Leonardo Diniz Faria confirmou que a denúncia foi protocolada, mas o caso ainda está em “diligências preliminares”. “Inicialmente, solicitamos junto ao Hospita, o prontuário de atendimento médico. Depois de termos acesso ao prontuário, vamos averiguar quais frentes de investigações serão seguidas”, explica.
Ainda de acordo com o promotor, após ser notificado, o hospital terá o prazo máximo de 10 dias para responder à solicitação. “Alguns hospitais não repassam o prontuário com base no sigilo profissional, mas acredito que o Ministério Público deveria ter acesso, para desenvolver o trabalho”, diz.
O provedor do hospital, Anderson Cordeiro dos Santos, informou por telefone que uma investigação interna foi aberta para identificar as causas desta fatalidade. "Somente após conversarmos com os envolvidos no atendimento poderemos pronunciar de forma concreta sobre o acontecido. Algumas pessoas já foram ouvidas, mas vamos esperar para não sermos injustos com ninguém".
Fonte: Com informações do G1

23 de novembro de 2014

Natal solidário: projeto vai contemplar famílias carentes das cidades de Itinga e Jequitinhonha

Projeto social rifa camisas autografadas de Cruzeiro e Atlético

Torcedores de Atlético e Cruzeiro aguardam ansiosamente o final da temporada, na espera de que os seus times de coração conquistem um título nacional em 2014. Mas antes das conquista esperadas, os mineiros amantes do futebol poderão ser “campeões” na solidariedade. Isto porque o projeto social Criança Feliz está rifando uma camisa oficial do Cruzeiro e outra do Atlético, ambas autografadas, para angariar fundos para o Natal Solidário, que será realizado nas cidades de Itinga e de Jequitinhonha, ambas no Vale do Jequitinhonha, e que vai contemplar famílias carentes da região.

As rifas custam R$5 cada e estão sendo vendidas desde o jogo entre Cruzeiro e Criciúma, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro e também foram oferecidas aos torcedores no primeiro duelo da final mineira da Copa do Brasil, que aconteceu no estádio Independência, no último dia 12. A intenção dos organizadores da campanha é vender todas as rifas até o dia 30 de novembro, como explica o representante do projeto social, Flávio Gontijo.
“Nós fizemos cinco mil rifas do Cruzeiro e cinco mil do Atlético, e desde que a campanha começou, já vendemos cerca de metade das rifas. A recepção dos torcedores tem sido muito boa e a nossa expectativa é de vender todas as rifas, para angariar fundos para a nossa causa”, explica Gontijo.
As camisas foram cedidas pelos clubes e contam com o autógrafo de todos os jogadores de cada time. Com o dinheiro arrecadado pela campanha, o projeto Criança Feliz irá promover a festa de Natal nas duas cidades mineiras, além de comprar presentes para as cerca de mil crianças que enviaram cartinhas com os pedidos de Natal.
A secretária municipal de desenvolvimento social da cidade de Itinga, Débora Ramalho Vieira, afirma que a festa de Natal é uma iniciativa muito boa e que as crianças já estão ansiosas. “ Achei super interessante esta ação. Estou acompanhando o trabalho deles e achei uma iniciativa importante e que vai alegrar as nossas crianças. Todo mundo está bem empolgado e envolvido na causa”, ressaltou.
O sorteio das camisas autografadas do Cruzeiro e do Atlético será no dia 6 de dezembro, às 20h, na sede da entidade (Av. do Contorno,3930, Esquina com a Rua Padre Rolim, Santa Efigênia). Já as festas de Natal nas cidade de Itinga e Jequitinhonha vão acontecer entre os dias 12 e 13 de dezembro.
Ação social – O Projeto Criança Feliz existe desde 2013 e conta com cerca de 40 voluntários. Seu principal objetivo é arrecadar alimentos, roupas, calçados, livros e brinquedos, através de doações, para levar até as crianças de cidades mineiras consideradas em situações de vulnerabilidade. No ano passado, o Natal Solidário contemplou crianças e famílias da cidade de Curral Dentro, no Norte de Minas.
Fonte: Com informações do O Tempo

24 de fevereiro de 2013

Capelinha: vereadores reajustam seus próprios salários

Parlamentares da última legislatura reajustaram “subsídios” sem divulgar à população. Ganhavam R$ 4.286,79 e agora recebem R$ 6.475,21 por mês, um reajuste de quase 33,8%


O ano de 2013 começou com novidades no cenário político de Capelinha. Algumas bastante divulgadas e comentadas, outras nem tanto. Depois do turbilhão de notícias envolvendo o poder executivo desde o falecimento do prefeito eleito, Pedro Vieira, o mandato se inicia com uma boa notícia para nossos vereadores, tanto para os novos quanto para os veteranos. Para a maior parte dos cidadãos de Capelinha, entretanto, não é uma novidade positiva, principalmente por conta das circunstâncias em que a decisão foi tomada.
De acordo com documento disponibilizado no site do Tribunal de Contas do Estado – TCE (como pode ser visto aqui) os vereadores da legislatura 2009-2012 decidiram por um novo aumento de seus salários, que para efeitos oficiais recebe o pomposo título de “subsídio mensal”.

Faziam parte da última legislatura e foram reeleitos para o mandato 2013-2016 os vereadores Cleuber Luiz, Edeltônio Gomes Vítor (Déo Miora), Gedalvo Fernandes, Laerte Ferreira dos Santos (Laerte Barrinha) e Wilson Carlos de Abreu (Wilson Coelho). Também eram membros do legislativo municipal os ex-vereadores Valdinei Cordeiro Rocha (Cabo Rocha) que não tentou reeleição, Valdir Gomes Santos (Valdir do Taxi) que não foi reeleito, e José Antônio Alves de Souza (Zezinho da Vitalina), que se tornou prefeito com o falecimento de Pedro Vieira.
O novo “subsídio mensal”, que sofreu um acréscimo de 33,8%, totalizará R$ 6.475,21, o que é “equivalente a 30% (trinta por cento) da remuneração dos Deputados Estaduais”. Para acessar o documento diretamente no site do TCE, clique aqui.

Este é o segundo aumento de salário dos vereadores de Capelinha nos últimos quatro anos.Em setembro de 2008, também de acordo com o Tribunal de Contas do Estado, foi aprovado um reajuste para o piso de R$ 4.286,79 que vigorou durante a legislatura 2009-2012.

Chama atenção o fato da resolução que regula o reajuste ser datada de 29 de agosto de 2012, uma quarta-feira. As reuniões da Câmara no último mandato eram realizadas sempre às segundas-feiras a cada quinze dias. Ao que tudo indica, os vereadores tomaram a decisão de aumentar o próprio salário em uma reunião extra-ordinária que, pelo visto, não teve sua pauta previamente divulgada à população.
Segundo informações ainda não confirmadas documentalmente, os salários de prefeito, vice-prefeito e secretários também tiveram reajustes autorizados pelo poder legislativo na mesma ocasião.

Nesta sexta-feira, dia 22 de fevereiro, o Movimento Muda Capelinha tentou entregar na Câmara Municipal de Capelinha um ofício endereçado ao presidente da Casa, o vereador Laerte Barrinha, pedindo esclarecimentos sobre a questão. Como a instituição permaneceu fechada no período da tarde, o documento será protocolado na segunda-feira.
Fonte: Blog do Banu

Noticias atualizadas em sua pagina na web