29 de dezembro de 2010

Cohab/MG: Virgem da Lapa terá 38 casas populares


Comunidade de Cansanção que fica as margens da BR-367 é a beneficiada. Obra orçada em 1 milhão de reais

A construção das casas populares promoverá a melhoria sócio-econômica de Virgem da Lapa, no Médio Jequitinhonha, nordeste de Minas. Buscando consolidar o município no plano do desenvolvimento regional com a implementação e execução de obras de infra-estrutura e sociais, o prefeito Dim Martins (PT) assegurou a Comunidade de Cansanção a construção de 38 casas populares, um investimento mais de R$1 milhão que vai beneficiar famílias de baixa renda e sem moradia.

O projeto é uma parceria com a Cohab/MG, através do Governo de Minas, dentro dos Programas Lares de Minas e de Combate a Pobreza Rural.

A viabilização do projeto, já licitada as obras, foi aprovada pela Câmara Municipal, tendo a Administração Municipal como contrapartida a sessão do terreno, isenção fiscal na ordem de R$90 mil referente a tributos inerentes a execução das obras.

Explica o Chefe do Executivo que as obras vêm atender uma parcela do déficit habitacional do Município, sendo a Comunidade de Cansanção beneficiada com objetivos de atender grave situação social de alguns moradores, de combate ao êxodo rural e também descentralizar os investimentos priorizando as situações familiares mais críticas.

“É um projeto pioneiro que pretendemos ampliar a todo o município. Acreditamos que as obras contribuirão além da geração de empregos,na melhoria da qualidade de vida das famílias, como no crescimento sócioeconômica do Cansanção,” avaliou Dim Martins.

Fonte: Com informações do blogdobanu

Irapé: Operação Piracema garante desova de peixes

Foi divulgado mais um resultado parcial da Operação Piracema, realizada na bacia hidrográfica do Jequitinhonha (hidrelétrica de Irapé), na cidade de Grão Mogol.

Os militares do 4º pelotão de meio ambiente de Montes Claros apreenderam 61 redes de nylon seco e 146 kg quilos de pescado, além de quatro armas de fogo e duas motosserras, além de um barco.

- Os autores evadiram, mas estas apreensões devem garantir a desova dos peixes, principalmente nos afluentes do rio Jequitinhonha e Itcambiruçu, além da represa de Irapé – afirma, em nota, a 11ª Cia PM Ind MAT.

27 de dezembro de 2010

Aniversário:Virgem da Lapa comemora 62 anos

27 de Dezembro de 2010: Parabéns Virgem da Lapa

Foto: Vista panorâmica da Av. Brasil

Virgem da Lapa, cidade conhecida como a Princesinha do Vale, localiza-se no Médio Vale do Jequitinhonha, a cerca de 600 km de Belo Horizonte. Está situada ente os rios Araçuaí e Jequitinhonha. Sua origem data de 1729, quando o capitão-mor Antônio Pereira dos Santos ofereceu uma doação por meio de Carta Régia da Coroa Portuguesa.

Foto: vista parcial Baixinha

A emancipação político-administrativa chegou em 1948, por intermédio do decreto-lei nº 336, de 27 de dezembro. Atualmente, sua população é de aproximadamente 14 mil habitantes, que vivem numa área de 805 km2, dedicando-se sobretudo a atividades de agropecuária, mineração, agroindústrias comunitárias (cana-de-açúcar, leite, mandioca), marcenaria e artesanato.

A rede de ensino estadual no município é formada por cinco estabelecimentos (três na zona urbana e dois na zona rural), quatro de ensino fundamental e um de ensino médio (científico). Com poucas opções profissionais, grande parte da população, a maioria jovens, migra para os grandes centros em busca de trabalho e também de formação educacional (nível superior).




Localização
O município está localizado na região do vale do Jequitinhonha, estado de Minas
Gerais, e sua sede encontra-se nas coordenadas geográficas 16,80oS de latitude e 42,34oW de longitude (PNUD, 2000). A área total ocupa 871,89 km2 e está contida nas folhas topográficas Salinas (SE-23-X-B-III) e Araçuaí (SE-23-X-B-VI), em escala 1:100.000,editadas pelo IBGE.
A sede municipal encontra-se a 385,0m de altitude e distancia 716 km de Belo Horizonte passando pela BR-116.
Foto: Av. Brasil atualmente


Aspectos Fisiográficos
A temperatura média alcança 24°C e o índice médio pluviométrico é de 900 mm
anuais.O cerrado representa o principal tipo de vegetação. A paisagem predominante de relevo é montanhosa (60%), com feições planas (20%) e onduladas (20%). A altitude máxima, de 825 m, encontra-se no Morro Redondo e a mínima, de 381 m, na foz do rio Salinas. As principais drenagens que cruzam o município são os rios Jequitinhonha, Araçuaí,Vacarias e Salinas.

23 de dezembro de 2010

Natal solidario no Jequitinhonha

Grupo de amigos de Belo Horizonte a 15 anos levam roupas e alimentos para familias carentes.Dando um natal mais feliz para algumas familias.

Mais uma vez a imprensa, nessa caso a Globo Minas referente-se a região como uma das mais pobres; Até quando esse pensamento arcaico por parte da imprensa vai continuar? Porque não dizer...o Vale do Jequitinhonha uma das regiões mais ricas em cultura?

Decidimos postar esse vídeo pela atitude nobre das pessoas que estão nesse projeto.

Gastronomia do Jequitinhonha é revisitada em livro de receitas

As experiências gastronômicas de comunidades do Vale do Jequitinhonha foram contadas em verso e prosa pelo projeto Ambiente Gastronômico no Vale, uma iniciativa do Sebrae/MG, em parceria com o Programa Turismo Solidário, do sistema Sedvan/Idene.

Foto:Participantes do projeto Ambiente Gastronômico no Vale

Moradores das comunidades de Mendanha, distrito de Diamantina; Bonfim e Alecrim, distritos de São Gonçalo do Rio Preto; e Capivari, distrito do Serro, todos contemplados pelo Turismo Solidário, foram convidados pelo Sebrae/MG para participar do projeto, que tem o intuito de trocar receitas da culinária local e compartilhar os saberes e fazeres da região. O resultado dessa iniciativa foi reunido em quatro livros que foram lançados, no mês de dezembro, em cada uma das localidades.

A coordenadora do projeto, Maria Sônia Madureira Pinho, conta que a pesquisa, que teve início em agosto de 2008 e durou cinco meses, se deu de forma coletiva e organizada. Em cada um dos quatro distritos, o grupo gestor do Programa Turismo Solidário reuniu cerca de 20 pessoas, que passaram a relatar e registrar em cadernos as experiências gastronômicas da sua região norteadas por cinco eixos: Receitas Salgadas, Receitas Doces, Ambiente Gastronômico, Hábitos e Costumes e Manifestações Culturais.

“Esse foi um emocionante processo de resgate da memória gustativa, olfativa e, principalmente, afetiva dos lugares e das pessoas que nos acolheram e com quem convivemos estreitamente. Pura história de Minas Gerais transformada em quitandas, salgados, doces, garrafadas e infusões. Receitas de vida e de fé”, define Maria Sônia.

Cultura de gerações

Segundo Maria Sônia, o relacionamento entre as mulheres pesquisadas determinou a estratégia do trabalho. “A culinária mineira é marcada pela oralidade, com receitas transmitidas por gerações. E o caderno de receitas é percebido como um verdadeiro patrimônio familiar, sinônimo de vivências compartilhadas”, explica.

Com base nessa constatação, foi incorporado às pesquisas o conceito do caderno de receitas, que se tornou o elo entre as mulheres e as suas comunidades, entre pesquisador e pesquisados. A partir daí, a principal missão foi expandir o olhar das envolvidas de dentro de casa para fora dela, do familiar para o social.

Com essa visão inovadora, as mulheres tornaram-se as protagonistas do resgate da sua cultura, de suas tradições e dos seus rituais, escrevendo a própria história por meio das receitas de suas famílias e do seu território. “Na riqueza do convívio, em conversas e trocas, revelaram-se os hábitos do cultivar, do colher e das diferentes maneiras de criar e recriar o alimento. As experiências do campo trouxeram respostas inusitadas”, diz Maria Sônia.

Pode-se perceber que cada município tem uma forma particular de lidar com as receitas e ingredientes. Na observação dos usos e costumes, a revelação da expressiva mobilidade das ervas e “matos”. A horta que se apresenta como elementar no cotidiano, possui funções diferenciadas que se interconectam, dependendo da missão: podem servir para benzer ou para temperar.

Lançamento

O lançamento dos livros reuniu as mulheres, suas comunidades e suas manifestações culturais. Em Alecrim e Bonfim, foi feita uma reza e todos dançaram o forró. Em Mendanha, o lançamento das obras teve a participação das crianças da comunidade e muita poesia. Em Capivari, uma peça de teatro homenageou quatro gerações, com a participação de crianças de dois anos e mulheres de 80, cujo enredo narrava o conteúdo dos livros.

Para a coordenadora do projeto Ambiente Gastronômico, Maria Sônia, o que deve ser ressaltado é o fato de que os tradicionais cadernos de receitas se transformaram em livros, escritos a muitas mãos, com a generosidade e a sabedoria de muitas gerações, que agora podem disseminar o conhecimento.

Os livros serão distribuídos para os representantes locais do setor de turismo, escolas, institutos culturais e universidades da região e entorno.
Fonte: Com informações da Agência Minas

Vales Mucuri e Jequitinhonha: reunião de prefeitos prepara SAMU

As cidades de Itaobim, Almenara e Araçuaí podem ter unidades menores para deslocar pacientes em caráter de emergência


A implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência- SAMU, nos Vales Mucuri e Jequitinhonha começou a ser definida.Uma reunião de prefeitos e lideranças regionais na em Teófilo Otoni, formou o consórcio de municípios para administrar o SAMU.

O projeto será implantado com recursos do governo do Estado e da União, com valor estimado e até R$ 5 milhões de reais. Teófilo Otoni terá uma base e central de operações a ser construída em terreno ao lado da Escola Sidônio Otoni, na Vila Pedrosa.

O gerente regional de saúde em Teófilo Otoni Ivana Santana, comenta que o atendimento médio de Urgência e Emergência será melhorado comas unidades do SAMU. “Elas vão atender ainda aos pacientes do Sistema Único de Saúde, além dos pacientes vítimas de desastres na região.

A diretoria do consórcio que vai administrar o sistema terá troca de presidente a cada ano e alternado, entre um líder do Mucuri e um do Jequitinhonha.

Fonte: Com informações do Tonoticias

18 de dezembro de 2010

Br 367: acidente deixa quatro mortos e oito feridos

Desastre aconteceu entre as cidades de Itinga e Araçuaí . Motorista teria feito ultrapassagem em local proibido

Quatro pessoas morreram e oito ficaram feridas em um acidente na BR-367 na noite desta sexta-feira (17), entre Itinga e Araçuaí, no médio Jequitinhonha. De acordo com a Polícia Militar, o motorista de um caminhão que transportava 12 pessoas na carroceria do veículo tentou fazer uma ultrapassagem em local proibido, perdeu o controle e caiu em uma ribanceira.

O acidente ocorreu a 5 km da comunidade do Taquaral, Araçuaí. Na altura do km 247 da BR-367.

Duas pessoas morreram hora e duas a caminho do hospital. Seis feridos estão internados no Hospital São Vicente de Paulo, em Araçuaí. De acordo com uma funcionária eles permanecem em observação e não correm risco de morte.

Outros dois feridos estão no Hospital Santa Rosália, em Teófilo Otoni. A instituição informou que não pode informar o estado de saúde dos pacientes. O caminhão foi apreendido por transporte irregular de pessoas.
Fonte: Com informações do G1

14 de dezembro de 2010

Thales Maioline: golpista tinha ramificação em Araçuaí

Suspeito de golpe milionário é ouvido pela polícia em BH

Thales Maioline se entregou à polícia no domingo (12/12/10)
Ele era procurado desde agosto, quando teve a prisão decretada


Thales Maioline, suspeito de dar um golpe milionário em cerca de dois mil investidores em Minas, é ouvido na manhã desta terça-feira (14) em Belo Horizonte. A informação é da assessoria da Polícia Civil. O delegado Anselmo Gusmão toma o depoimento do homem de 34 anos no Departamento de Investigações – Divisão Especializada em Investigação de Crimes Contra o Patrimônio, que fica no bairro Carlos Prates, região noroeste da capital.

O homem se entregou à polícia no domingo (12) e foi levado para o Centro de Remanejamento de Segurança Prisional (Cersp) São Cristovão, de acordo com a Polícia Civil. Segundo informações da polícia, ele era procurado desde o início de agosto, quando teve a prisão decretada. O suspeito teria sumido com o dinheiro de investidos atraídos pela promessa de rentabilidade alta. Thales Maioline se apresentou espontaneamente à Seccional Noroeste, no bairro Alípio de Melo e passou por exame de corpo de delito.

O advogado Marco Antônio de Andrade, que defende Maioline, disse o G1 neste domingo (12) que o cliente decidiu se entregar para "dar solução ao caso". "Não fazia sentido continuar onde estava, se tornar um eterno fugitivo não tem razão de ser", falou o advogado.

Maioline era dono da Firv Consultoria e deu entrevista ao jornal Estado de Minas, onde contou ter se refugiado no interior da Bolívia e disse que está pronto para se entregar. Ao jornal, ele afirmou que decidiu se entregar para proteger a irmã e um amigo, sócios da empresa, e que estariam sendo ameaçado de morte. A apresentação espontânea pode atenuar a pena. O jornal diz que a fraude pode chegar a R$ 86,1 milhões.

Araçuaí
Quando a prisão dele foi decretada, segundo a polícia, Maioline teria dado o golpe milionário em cerca de 2 mil investidores de varias cidades mineiras. Segundo as investigações, a Firv captava recursos, oferecia altos rendimentos, mas não conseguia pagá-los. A empresa com sede em Belo Horizonte tinha uma ramificação em Araçuaí, no médio Jequitinhonha, de acordo com a polícia. Alguns investidores foram investigados por sonegação, por não terem declarado as aplicações ao Imposto de Renda.
Fonte: Com informações do G1

12 de dezembro de 2010

Radio: no ar Vozes do Vale

É com enorme prazer que o Programa Polo de Integração da UFMG no Vale do Jequitinhonha comunica a todos a volta do Vozes do Vale à grade de programação da rádio da Universidade


Confluência de vozes agora também pelas ondas do rádio.

Apresentado semanalmente por Bruna Acácio e Phellipy Jácome, o programa tem por objetivo divulgar os podcasts produzidos pelos jovens do Jequitinhonha durante as oficinas do projeto.


Nessas oficinas, eles aprendem um pouco sobre produção em áudio, gêneros radiofônicos e recursos de edição.


O principal objetivo do projeto é que os jovens do Vale tenham um espaço permanente de visibilidade, para expressarem suas vozes e abordarem temas do seu dia a dia, através dessa ferramenta de produção em áudio.


O canal aberto entre a universidade e o protagonismo juvenil do Vale do Jequitinhonha pode ser conferido na rádio UFMG Educativa, nos horários:


Segunda-feira: 12h20m (estréia)


Terça-feira: 16h15m (reprise)


Quinta-feira: 01h30 (reprise)


Para ouvir, basta sintonizar a frequência 104, 5 FM na região metropolitana de Belo Horizonte ou acessar a página da rádio na web, com transmissão ao vivo:

www.ufmg.br/online/radio

Fonte: Com informações da UFMG

8 de dezembro de 2010

Prefeito do PT-MG de Itinga não é expulso por falta de provas

Prefeito de Itinga escapa de expulsão

O PT de Minas Gerais expulsou neste sábado três prefeitos acusados por integrantes do partido de promover nas eleições o "Dilmasia", voto casado em Dilma Rousseff (PT) para presidente e em Antonio Anastasia (PSDB) para governador. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Diretório Estadual do partido.

Foram expulsos os prefeitos de Mutum, Gentil Caldeira; de Central de Minas, Gilmar de Souza; e de Itaipé, Gilmar Nery. Eles poderão recorrer ao Diretório Nacional do PT.


No Estado, o PT apoiou a candidatura derrotada de Hélio Costa (PMDB) ao governo, mas alguns prefeitos petistas trabalharam pelo tucano.

Itinga
Outros dois prefeitos, de Andradas e Itinga, também estavam ameaçados de expulsão, mas o diretório decidiu apenas adverti-los por falta de provas materiais.

No caso dos expulsos, afirmou o presidente do PT-MG, Reginaldo Lopes, há evidências como vídeos e testemunhas. Ele também citou a participação do prefeito em manifestações públicas de apoio a Anastasia e na assinatura de manifestos.

Os prefeitos expulsos não foram encontrados pela reportagem neste sábado. No último dia 24, quando teve a expulsão pedida pela Executiva do PT mineiro, o prefeito de Mutum disse à Folha considerar a decisão injusta e que lutaria para ficar no partido, apelando até ao presidente Lula.

Gentil Caldeira disse na ocasião que apenas priorizou a candidatura de Dilma, apoiando Anastasia para, em troca, PSDB e DEM na cidade apoiarem a presidenciável petista.
Fonte: Com informações do Jornaldiadia

2 de dezembro de 2010

Diamantina terá sede regional do TRE-MG


A Região Eleitoral do Jequitinhonha vai abranger 15 cidades

O TRE-MG aprovou o nome do Desembargador Moacyr Pimenta Brant para patrono da sede da Região Eleitoral do Jequitinhonha a ser instalada em Diamantina. O presidente do TRE, desembargador Baía Borges, justificou a escolha lembrando os relevantes serviços prestados ao Judiciário local pelo desembargador Moacyr Pimenta Brant, cujo centenário será comemorado em 2011.(Foto:Tre-MG de Belo Horizonte)

Breve histórico do desembargador

Natural de Diamantina, exerceu as funções de Juiz de Direito naquela comarca, tendo sido, também, promotor de Justiça em Minas Gerais, corregedor do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, de 1980 a 1981, e professor da Universidade de Minas Gerais. Quando formou-se em Direito, pela Universidade Minas Gerais, em 1936, recebeu o prêmio Rio Branco como melhor aluno do curso nos cinco anos – prêmio que, anos mais tarde, seria também recebido por seu filho, o ex-deputado Roberto Brant. Foi promotor de justiça em Dores do Indaiá e Pitangui e juiz de direito em Caldas, São Sebastião do Paraíso e Belo Horizonte, além de Diamantina.

O homenageado era pai de 10 filhos, entre eles o compositor mineiro Fernando Brant. Teve várias obras publicadas. Morreu em março de 2004.

A Região Eleitoral do Jequitinhonha, que vai abranger 15 cidades, integra uma das 12 regiões criadas pelo TRE em agosto de 2009 com o objetivo de descentralizar as atividades administrativas da Justiça Eleitoral mineira para a melhoria da prestação dos serviços.

Saiba mais

As regiões eleitorais têm como principais objetivos armazenar as urnas eletrônicas das zonas eleitorais da respectiva região; participar da realização dos procedimentos de preparação para as eleições, capacitação de servidores, treinamento de mesários e testes de sistemas eleitorais e coordenar as campanhas de valorização do voto, de contato permanente com as associações de bairro e demais organizações da sociedade, visando à transparência das atitudes políticas e à soberania da vontade popular.

Segundo a Resolução 775/2009, a criação das regiões eleitorais levou em consideração três pontos principais: a necessidade de consolidar o novo modelo de gestão administrativa baseado no planejamento estratégico do TRE-MG; a procura pela redução de custos, pela otimização da utilização dos recursos financeiros, bem como pela melhoria da qualidade e eficácia na prestação de serviços; e as limitações apresentadas pelo atual modelo de armazenamento das urnas eletrônicas (no qual parte das urnas fica na capital, outra em zonas eleitorais do interior com condições de abrigar os equipamentos a elas destinados).

As 12 Regiões Eleitorais no Estado são Região Noroeste, com sede em Paracatu; Região Alto do Paranaíba, com sede em Patos de Minas; Região Central, com sede em Belo Horizonte; Região Norte, com sede em Montes Claros; Região Leste, com sede em Governador Valadares; Região Jequitinhonha, com sede em Diamantina; Região Mucuri, com sede em Teófilo Otoni; Região da Mata, com sede em Juiz de Fora; Região Campo das Vertentes, com sede em Lavras; Região Sul, com sede em Varginha; Região Sudoeste, com sede em Passos; Região Triângulo, com sede em Uberlândia.

O TRE já instalou as seguintes regiões eleitorais: Região Eleitoral Mucuri (sede em Teófilo Otoni); Região Eleitoral Noroeste (sede em Paracatu); Região Eleitoral da Mata (sede em Juiz de Fora); Região Eleitoral Central (sede em Belo Horizonte) Região Eleitoral Alto Paranaíba (sede em Patos de Minas).

Fonte: Com informações da Assessoria de Imprensa do Tre-MG


1 de dezembro de 2010

IBGE divulga os resultados do Censo 2010 de Virgem da Lapa

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)divulgou o balanço parcial do Censo 2010. Minas Gerais ficou em segundo lugar em número de pessoas residentes no estado, com 19.159.260 de habitantes, atrás apenas de São Paulo.

IBGE divulga os resultados oficiais do Censo 2010.Virgem da Lapa localizada no médio Jequitinhonha com 868,91 km2 , em 2000 tinha 13.672 habitantes. De acordo com censo 2010 hoje o município possui 13.625, portanto houve uma leve queda de 0,34% no número de residentes em relação ao ano 2000, cerca de 47 pessoas. As mulheres compõe a maior parte da população, do total de moradores 6.868 são mulheres, o total de homens somam 6.757.

Quem reside no município tem uma impressão de há mais homens do que mulheres , pois a circulação deles (homens) no centro da cidade, em festas, convenções, etc são predominantes. A pergunta que se faz é: onde estão essas mulheres ?

Dados do IBGE revelaram que a maior parte da população de Virgem da Lapa vive na zona urbana .

São 6.842 pessoas vivendo na cidade e 6.783 pessoas vivem no campo. Os números revelaram também que há 5.147 domicílios.

Evolução Populacional-Virgem da Lapa

1991

13925 habitantes

1996

13773 habitantes

2000

13672 habitantes

2007

14103 habitantes

2010

13625 habitantes


Os resultados do IBGE apontaram um aumento populacional nas principais cidades do Vale do Jequitinhonha, veja os dados logo abaixo.

Cidades

População/2000

População/2010

Variação em relação a 2000

Almenara

35385

38779

+9.59%

Araçuaí

35713

36041

0,92%

Capelinha

31231

34796

+11.41%

Diamantina

44259

45884

+3.67%

Minas Novas

30646

30803

0,51%


Em Em relação ao médio Jequitinhonha as únicas cidades de pequeno porte que tiveram crescimento foram Itinga e Jenipapo de Minas

Cidades

População/2000

População/2010

Variação em relação a 2000

Berilo

10309

10244

-0,63%

Coronel Murta

9134

9117

-0,19%

Chapada do Norte

15225

15165

-0,39%

Itinga

13894

14407

3,69%

Francisco Badaró

10309

10244

-0,63%

Jenipapo de Minas

6490

7117

9,66%


Fonte: Com informações do IBGE,Primeiros Resultados/G1


28 de novembro de 2010

Esta chegando V. Lapa folia 2010 a micareta de Virgem da Lapa

Virgem da Lapa a Princesinha do Vale do Jequitinhonha comemora 62 anos de emacipação política.E para comemorar vem aí a partir do dia 25 de dezembro de 2010 a micareta de Virgem da Lapa.As atrações principais são: Jarley e banda e Rapazzola.

A origem do município data de 1729, quando o capitão-mor Antônio Pereira dos Santos recebeu uma sesmaria entre os rios Araçuaí e Jequitinhonha. Em 1840, cria-se a paróquia de São Domingos de Araçuaí, elevada a distrito de Araçuaí em 1889. Emancipa-se em 1948, recebendo a denominação de Virgem da Lapa. Por ser considerada a cidade mais limpa
do Vale do Jequitinhonha é conhecida como Princesinha do Vale.

O artesanato do Vale do Jequitinhonha ganha o mundo

Artesanatos do Vale fazem sucesso entre franceses e portugueses




O artesanato brasileiro se consolida cada vez mais como importante produto de exportação. Apreciadas por americanos e europeus, peças de tecido, barro e madeira conquistam pela simplicidade e beleza.

Os tapetes de fuxico, feitos de retalho de tecidos, foram criados por presidiários de Minas Gerais e já ganham espaço no mercado estrangeiro. Flores, bonecos e vasos de barro, criados por uma artesã do Vale do Jequitinhonha,fazem sucesso entre franceses e portugueses.

Com peças únicas, o artesanato brasileiro se consolida a cada ano como produto de exportação, mesmo com a desvalorização do dólar frente ao real. Em uma feira, que reúne expositores de norte a sul do país, a expectativa é fechar R$ 5 milhões em contratos nos próximos 12 meses.

Se a ideia é chamar a atenção dos consumidores, não faltam novidades. Um artesão transforma tocos de madeira em bancos e artigos de decoração, sendo que 30% das peças são destinadas para os Estados Unidos.
Fonte: Com informações da Band

27 de novembro de 2010

Secretaria de Estado de Turismo inaugura Vila Real em Diamantina

A Vila Real foi estrategicamente planejada em um ponto da Estrada Real que liga a Serra do Cipó ao Vale do Jequitinhonha, passando pelo Serro, Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras e Diamantina



A Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais (Setur-MG) inaugura neste sábado (27) um novo ponto de apoio e serviço ao viajante localizado na Estrada Real. Trata-se da Vila Real, que fica no povoado do Vau, distrito de Diamantina, no Vale do Jequitinhonha.

A Vila Real foi estrategicamente planejada em um ponto da Estrada Real que liga a Serra do Cipó ao Vale do Jequitinhonha, passando pelo Serro, Milho Verde, São Gonçalo do Rio das Pedras e Diamantina.

O local disponibilizará aos turistas serviços de infraestrutura básica para proporcionar uma estada prazerosa e confortável, tais como: informações sobre os atrativos naturais e culturais da região, sanitários com banhos adaptados para portadores de necessidades especiais, loja de artesanato com produtos da região do Vale do Jequitinhonha, computadores com acesso à internet, Café Real e Espaço Vivências - local para descansar e saborear quitutes preparados pela comunidade.

Serviço:

Evento: Inauguração da Vila Real

Data: 27/11/2010

Horário: 16h

Local: Praça Sebastião Cruz, Povoado do Vau, em Diamantina

25 de novembro de 2010

Itamarandiba: desapropriação de terras em Serra Negra é debatido em audiência

O representante da Associação dos Defensores e Amigos do Serra Negra, Luiz Fernando Alves, afirmou que, até hoje, apenas três propriedades, entre cerca de 140, foram desapropriadas na área do Parque Estadual Serra Negra, em Itamarandiba (Alto Jequitinhonha)

O representante da Associação dos Defensores e Amigos do Serra Negra, Luiz Fernando Alves, afirmou que, até hoje, apenas três propriedades, entre cerca de 140, foram desapropriadas na área do Parque Estadual Serra Negra, em Itamarandiba (Alto Jequitinhonha). De acordo com ele, há mais de dois anos nenhum imóvel é desapropriado, o que torna instável a situação das 160 famílias que ali vivem e dependem da cultura de subsistência. Ele também afirmou que os recursos orçamentários estimados para a regularização fundiária são insuficientes para resolver a situação na região. Luiz Fernando e outros convidados participaram na manhã desta quarta-feira (24/11/10) da audiência pública realizada pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais para discutir a situação dos moradores da área.

Ronaldo José Ferreira Magalhães, da Diretoria de Áreas Protegidas do Instituto Estadual de Florestas (IEF), que representou o secretário de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho, reconheceu que os recursos financeiros disponibilizados pelo Estado são limitados. Os deputados Durval Ângelo(PT), presidente da comissão e autor do requerimento para a realização da audiência, Délio Malheiros (PV) e Adelmo Carneiro Leão (PT) também demonstraram preocupação com o lento processo de indenização das famílias que moram na área do parque.

Como resultado da audiência, a comissão aprovou, entre outros, dois requerimentos do deputado Durval Ângelo (PT), pedindo que sejam encaminhadas as notas taquigráficas da reunião e pedidos de providência. Ao Ministério Público e à Defensoria Pública Geral, o parlamentar pede que sejam concedidos aos moradores os benefícios garantidos pela Lei Estadual 11.020, de 1993, especialmente para concessão gratuita de domínio. Ele solicita também a designação de defensores públicos para irem à Comarca de Itamarandiba, com o intuito de trabalharem na interposição de ações de regularização de posse dos moradores da área, respectivamente.

Representante dos moradores defende garantia dos direitos das famílias

Luiz Fernando considerou que a quantia de R$ 1,3 milhão estimada pelo Orçamento do Estado para a regularização das desapropriações de imóveis nas unidades de conservação ambiental de Minas é insuficiente. Ele citou que só a área ocupada pelo Parque Serra Negra é de aproximadamente 13,6 mil hectares. "Nós entendemos que é louvável e necessário conservar o meio ambiente, mas a preservação não precisa esfacelar o aspecto social, das pessoas que vivem e dependem daquela terra", afirmou. Ele também defendeu que as indenizações das famílias pela desapropriação de suas terras deve ser justa, avaliando as condições de vida e a capacidade produtiva da propriedade para os moradores.

De acordo com o representante, quando o parque foi criado em 1998, por meio de decreto, não foi feito um estudo de demarcação das áreas. Segundo ele, atualmente o IEF tem redefinido esses limites, incluindo áreas que mereciam ser preservadas e que, até então, estavam fora dos limites do parque.

Recursos orçamentários são insuficientes para regularizar situação fundiária

Segundo o assessor e advogado do IEF, Vinício Vitor Rodrigues, ainda há cerca de 320 mil hectares de terras a serem regularizados no Estado, apesar do avanço obtido nos últimos quatro anos, quando foram regularizados 126 mil hectares.

Ronaldo Magalhães, do IEF, também considerou que a escassez de recursos financeiros não é o único entrave para a solução da questão. De acordo com ele, existem muitos casos de proprietários de terras da área do Parque Estadual de Serra Negra que não têm documentação que comprove o número real de hectares por eles ocupados. Sobre isso, o representante da Associação dos Defensores e Amigos do Serra Negra, Luiz Fernando, disse que a entidade tem trabalhado para a regularização dos documentos e afirmou que algumas famílias, mesmo já tendo a documentação normalizada, ainda não tiveram o seu processo de desocupação iniciado.

Ronaldo Magalhães também afirmou que os critérios para a criação do parque só ficaram claros após a instituição do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (Snuc), pela Lei 9.985, de 2000, que estabelece os critérios e normas para criação, implementação e gestão das unidades de conservação. Segundo ele, antes de 2000 a criação dessas unidades era feita sobre o mapa, de forma precária, sem a verificação dos reais limites da área. "Hoje os esforços para a criação de unidades de conservação se concentram em definir limites que sejam justos, deixando o mínimo de áreas produtivas dentro da área de conservação e reduzindo os conflitos", comentou.

Regularização da situação das famílias devem ser a prioridade do IEF, diz deputado

O deputado Durval Ângelo disse não discordar da necessidade do Parque Estadual de Serra Negra como uma ação de defesa da ecologia, mas afirmou que os pequenos proprietários são totalmente preteridos. "O IEF deve ampliar as reservas de conservação, mas deve ter claro que a prioridade são as comunidades que estão ali. Queremos que as pessoas tenham condições de reconstruir suas vidas, através do reassentamento das famílias ou do pagamento de uma indenização justa", argumentou.

O membro da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MG), Vinícius Marcus Nonato da Silva, acredita ser necessária a desburocratização do Estado, de forma a possibilitar a justa indenização dos proprietários atingidos na região. Na sua opinião, a dignidade das pessoas que moram na área está sendo afrontada pelo Estado.

Abusos - Na opinião do assessor da Federação dos Trabalhadores na Agriculura do Estado de Minas Gerais (Fetaemg), Eduardo Nascimento, as restrições à atividade dos agricultores que vivem na área do Parque de Serra Negra são feitas muitas vezes por uso de força policial. Além disso, ele afirmou que o IEF continua tomando medidas de criação de mais unidades de conservação, mesmo reconhecendo a falta de recursos orçamentários que possam garantir o direito de indenização das famílias atingidas com as desapropriações.

O procurador de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional de Conflitos Agrários do Ministério Público, Afonso Henrique de Miranda Teixeira, manifestou sua indignação com a situação dos moradores da área do Parque Serra Negra. Para ele, não é mais possível que os poderes públicos continuem em um estado de "passividade institucionalizada", sem agir diante das medidas protetivas ao meio ambiente que atingem e prejudicam os trabalhadores.

Preocupação - O deputado Délio Malheiros também demostrou sua preocupação com a situação das famílias que vivem na área do Parque de Serra Negra. Segundo ele, o problema existe desde 2006, quando foi feita uma audiência pública em Itamarandiba para discutir a questão. O deputado mostrou-se surpreso com a justificativa apresentada pelo IEF, de que o processo de indenização das famílias estaria paralisado por falta de recursos financeiros, uma vez que, na época da audiência na cidade, a justificativa apresentada para a não solução dos problemas era a regularização fundiária. Délio Malheiros disse acreditar na ação do Governo Estadual para solucionar a questão e mostrou-se solidário à situação dos moradores.

O deputado Adelmo Carneiro Leão afirmou que é responsabilidade do Estado regularizar e disponibilizar recursos para a desapropriação das terras das famílias que vivem na área. Ele afirmou que é necessário estabelecer metas de quanto e quando as famílias receberão suas indenizações ou serão reassentadas.

O presidente da Associação dos Defensores e Amigos do Serra Negra, Délcio Fernandes dos Santos, afirmou que concorda com o deputado Adelmo, quando ele diz que é necessário que prazos e metas sejam estabelecidos. "A área tem sua importância ecológica, mas não podemos permitir que as famílias sejam despejadas sem indenização", comentou.

Outros requerimentos aprovados - Foram aprovados outros sete requerimentos, sendo seis de autoria do deputado Durval Ângelo (PT):

* três relativos ao debate sobre o Parque Estadual Serra Negra, sendo que dois encaminham notas taquigráficas da reunião: ao ouvidor agrário nacional, para providências, além de solicitar que o tema seja colocado em pauta nas reuniões da Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo; e a autoridades convidadas que compareceram e a outras que não participaram da reunião, mas justificaram sua ausência. O terceiro requerimento trata de audiência a ser realizada para debater os critérios usados na decretação de unidades ambientais, bem como os direitos das comunidades atingidas e, ainda, eventuais mudanças na legislação estadual sobre o tema;

* uma manifestação de aplauso dirigida ao governador Antonio Anastasia pelo anúncio feito pelo secretário adjunto de Defesa Social, Robson Lucas da Silva, de que o Executivo mineiro assinará este ano o termo de adesão ao Plano de Ações Integradas para a Prevenção e o Combate à Tortura no Brasil (Paict). O requerimento menciona que finalmente ocorreu o anúncio, informando que este ocorreu no Debate Público sobre a questão da tortura, na última segunda (22), na ALMG;

* encaminhando notas taquigráficas do Debate Público do dia 22 ao Conselho Nacional de Justiça. A solicitação é de providências relativas à apuração da denúncia de Rosana Silva Rodrigues sobre a conduta de Antônio Carneiro, juiz da Vara de Execuções Criminais de Sete Lagoas (Região Central), no episódio de maus tratos contra o irmão de Rosana, o apenado Nilson Agno da Silva, recentemente falecido. O juiz teria ordenado a retirada de Silva do hospital por várias vezes, à revelia de laudos médicos e do estabelecimento prisional. A comissão também solicita que a Assembleia seja comunicada das medidas efetivadas a respeito do caso;

O último requerimento solicita o encaminhando de notas taquigráficas do Debate Público do dia 22 a diversas autoridades, como o governador Antonio Anastasia; o secretário de Defesa Social, Moacir Lobato de Campos Filho; e representantes da Ouvidoria de Polícia, Corregedoria-Geral de Polícia Civil, Ministério Público, OAB.

De autoria dos deputados Durval Ângelo e Alencar da Silveira Jr. (PDT):

* requerimento que encaminha a diversas autoridades as notas taquigráficas de reunião realizada no último dia 17/11, que averiguou denúncias sobre possíveis agressões praticadas por policiais contra cidadãos de Belo Horizonte. Entre as autoridades, estão representantes das corregedorias de Polícia e da Ouvidoria de Polícia, além do delegado da 1ª Delegacia de Plantão da Regional Centro, que preside inquérito mencionado na reunião. O requerimento cobra providências para resolver a questão e que a Assembleia seja comunicada das medidas a serem efetivadas.

Presenças - Deputados Durval Ângelo(PT), presidente; Délio Malheiros (PV), Adelmo Carneiro Leão (PT), Lafayette de Andrada (PSDB) e Gláucia Brandão (PPS), além dos convidados citados anteriormente e do professor do Serviço de Assistência Judiciária da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais- SAJ- PUC, Fábio Alves dos Santos.

Fonte: Com informações da Assessoria da ALMG


Polícia Civil prende quadrilha nos municípios de Governador Valadares e Araçuaí

Os integrantes da quadrilha são acusados de homicídio, tráfico de drogas e do roubo conhecido como "saidinha de banco". A operação envolveu 150 agentes e um helicóptero




Após investigações de mais de 7 meses, a Polícia Civil de Minas Gerais prendeu na quarta-feira 20 integrantes de uma quadrilha nos municípios de Governador Valadares e Araçuaí, acusados de homicídio, tráfico de drogas e do roubo conhecido como "saidinha de banco". A operação foi iniciada às 4h30 e envolveu 150 agentes e um helicóptero. Em ação paralela à tarde, policiais prenderam, por envolvimento com o tráfico, um médico do Hospital Regional de Valadares e um homem identificado como um dos maiores traficantes da região.

Na ãção da madrugada, 17 suspeitos foram presos apenas em Governador Valadares, e outros três foram encontrados em Araçuaí. De acordo com a Polícia Civil, o grupo tinha ligações com Rondônia, Paraguai e cidades como Inhapim, Teófilo Otoni e cidades do Vale do Jequitinhonha. Foram apreendidos 10 kg de crack com apenas um dos suspeitos. Ainda foram encontradas drogas como cocaína e maconha, além de armas de fogo, dinheiro, cheques, uma balança de precisão, xilocaína e outros materiais relacionados ao tráfico.

Por volta das 16h30, o médico clínico Felipe Fraga Damaceno, 27 anos, foi preso no centro de Governador Valadares. Ele trabalhava no Hospital Regional e é acusado de envolvimento com o tráfico na região. Preso e identificado pela polícia como um dos maiores traficantes da região, Fábio Freire Gonçalves, também 27 anos, é suspeito de ter uma rede de consumidores com mais de 100 usuários de droga. Ele abasteceria todo o centro da cidade, em estabelecimentos como bares e eventos como festas rave. Com os dois detidos, foram encontrados cocaína, pasta base para produzir a droga, maconha, cheques e dinheiro. Eles foram encaminhados para a cadeia pública local, onde também estão os 20 presos na operação da madrugada.

Fonte: Com informações do Portal Terra/G1

23 de novembro de 2010

Itamarandiba: deputados discutem denúncia de violação de direitos

As supostas violações de direitos humanos causadas pela desapropriação de imóveis para a implantação do Parque Estadual Serra Negra em Itamarandiba, no Vale do Jequitinhonha, serão discutidas em audiência pública pela Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). O encontro será na próxima quarta-feira (24/11/10), às 9 horas, no auditório da ALMG, em Belo Horizonte.

A audiência, solicitada pelo presidente da comissão, deputado Durval Ângelo (PT), pretende ouvir representantes do poder público, especialistas e integrantes de movimentos da sociedade civil relacionados com o tema. A implantação do Parque Estadual Serra Negra está sendo acompanhada pelos parlamentares do legislativo mineiro, que já realizaram uma audiência pública, em junho de 2009, para discutir os impactos do projeto na vida das comunidades do entorno.

Convidados

- Para apresentar informações sobre a atual situação das desapropriações e as supostas violações aos direitos humanos foram convidados o ouvidor agrário nacional e presidente da Comissão Nacional de Combate à Violência no Campo, desembargador Gercino José da Silva Filho;

O secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, José Carlos Carvalho; o procurador de justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional de Conflitos Agrários, Afonso Henrique de Miranda Teixeira;

O diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas (IEF) e secretário adjunto de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Shelley de Souza Carneiro; o coordenador de direitos humanos da Defensoria Pública, Gustavo Corgosinho Alves de Meira;

O membro da Associação dos Defensores e Amigos do Serra Negra, Luiz Fernando Alves; o professor no Serviço de Assistência Judiciária da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), Fábio Alves dos Santos; e o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seção Minas Gerais, William dos Santos.

Fonte: Com informações da Assessoria de comunicação da ALMG

Araçuaí: câmara de vereadores investiga irregularidades na administração de Aecio Silva

CAMARA DE VEREADORES ACEITA DENUNCIA E FORMA COMISSÃO PROCESSANTE PARA INVESTIGAR POSSÍVEIS IRREGULARIADES POLÍTICO ADMINISTRATIVAS REALIZADAS PELO PREFEITO AECIO SILVA JARDIM

A câmara de vereadores de Araçuaí aprovou, no último dia 12, por 8 votos a 0, o recebimento de denuncia de possíveis irregularidades político administrativas realizadas pelo prefeito Aécio Silva Jardim. Na última terça feira foi formada a comissão processante que ira investigar os fatos.

As causas das investigações são denuncias encaminhadas á câmara municipal de Araçuaí com possíveis irregularidades cometidas pelo poder público municipal, relativas a processos de licitação e empresas que prestaram serviços na atual administração.

As denuncias foram feitas na reunião da câmara do ultimo dia 12 de novembro e foi aprovada o seu recebimento por 8 votos a 0. No mesmo dia deveria ter sido formada a comissão processante mais devido a extensão da pauta foi adiada para o dia 16.

Na terça feira, a reunião teve como objetivo formar a comissão processante que terá a finalidade de averiguar os fatos. A comissão ficou assim formada: presidente: José Ornelas, relator Asdubal Teixeira e terceiro membro Arcanjo Nunes.

Segundo o regimento da câmara, a formação da comissão processante se da por duas formas: acordo de lideranças ou sorteio. Como não foi possível formá-la por acordo de lideranças, uma vez que o vereador Cláudio Nunes não quis fazer parte da comissão, pedindo 5 minutos para pensar e depois recusar, foi iniciado a segunda opção, realizada através de sorteio, sendo sorteados os integrantes da comissão José Ornelas, Asdubal Teixeira e Arcanjo Nunes.

A nossa equipe de reportagem procurou a atual administração para esclarecer as supostas irregularidades, a assessora jurídica preferiu não dar entrevista, mas nos forneceu esta nota afirmando que o município ainda não foi notificado das denúncias. O município se reserva o direito de se manifestar assim que for notificado, quando terá ciência dos fatos denunciados, sendo que após tal fato está aberto a qualquer esclarecimento para a população.

Fonte: Com informações do Portal Ara

18 de novembro de 2010

Itaobim apresenta 76 sugestões ao PPAG

As 76 sugestões ao PPAG foram colhidas a partir dos debates realizados nos grupos de trabalho, cujos temas foram "Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce" e "Redução da Pobreza e Inclusão Produtiva"

A última audiência pública de revisão do Plano Plurianual de Ação Governamental (PPAG) 2008/2011, realizada em Itaobim (Jequitinhonha), nesta sexta-feira (12/11/10), colheu 76 sugestões de cidadãos e representantes da sociedade civil organizada de 17 municípios aos programas estruturadores do Estado.

O evento, promovido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, contou, ainda, com a presença de deputados, prefeitos, vereadores e integrantes do Poder Executivo, e teve o objetivo de verificar, com a população, se as ações previstas no orçamento foram efetivamente implementadas, se o que foi programado foi cumprido, além de receber as sugestões de emendas.

As discussões sobre políticas de recursos hídricos dominaram a maior parte dos debates. Os participantes pediram mais investimentos em fontes de energia renováveis (eólica e solar) e ressaltaram a importância das barragens.

Na área de educação, foram cobradas melhorias no sistema de transporte escolar, bem como a valorização dos professores. Os participantes relataram ainda as muitas dificuldades enfrentadas por estudantes para chegarem às escolas.

Na abertura do evento, o deputado André Quintão (PT) lembrou que, até a audiência de Itaobim, haviam sido apresentadas 286 propostas nos encontros regionais, que reuniram mais de 700 participantes. O parlamentar reforçou a importância da revisão, tendo em vista que 2011 marca o início dos trabalhos do governador reeleito, Antônio Augusto Anastasia.

O deputado Carlin Moura (PCdoB) disse, em sua participação, que, por ser a última revisão, a sociedade deve, mais que sugerir novas propostas ao orçamento, aferir resultados dos projetos que vêm sendo desenvolvidos na região.

Oportunidade - O prefeito da Itaobim, João Pereira, celebrou o evento, que aconteceu pela terceira vez no município. Para ele, a revisão do PPAG representa a oportunidade de o Vale do Jequitinhonha se fazer representar no Governo do Estado. "Estamos longe do governador, por isso, este é momento para que tenhamos voz nos projetos do orçamento público", disse.

O diretor Central da Coordenação de Ação Governamental da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag), Leonardo Ladeira, destacou a revisão como um momento democrático de interlocução do poder público com a sociedade.

Segundo ele, o evento é uma oportunidade para que governo conheça a realidade do Estado e, com isso, aperfeiçoe as ações e prioridades dos 56 programas estruturadores que compõem o PPAG. O representante do Poder Executivo citou e prestou contas de alguns dos programas que atendem diretamente a região.

Propostas foram definidas em dois grupos de trabalho

As 76 sugestões ao PPAG foram colhidas a partir dos debates realizados nos grupos de trabalho, cujos temas foram "Desenvolvimento do Norte de Minas, Jequitinhonha, Mucuri e Rio Doce" e "Redução da Pobreza e Inclusão Produtiva".

O primeiro grupo apresentou propostas para os programas estruturadores "Convivência com a Seca e Inclusão Produtiva" e "Minas Sem Fome". O segundo grupo reuniu sugestões para os programas estruturadores "Travessia: Atuação Integrada em Espaços Definidos de Concentração de Pobreza" e "Vida no Vale Copanor".

As discussões foram mediadas pelos gerentes do programas e pelos parlamentares. No total, 77 pessoas, entre cidadãos e membros de entidades da sociedade civil organizada, inscreveram-se para participar das discussões, que abordaram temas como meio ambiente, energia, saúde, educação e, principalmente, recursos hídricos.

As propostas reunidas nas audiências públicas realizadas em Itapagipe (Triângulo), São João Nepomuceno (Mata), Belo Horizonte (Central) e Itaobim (Jequitinhonha) vão compor um documento final para análise das comissões de Participação Popular e Fiscalização Financeira e Orçamentária da ALMG, para que sejam feitas propostas de emenda aos projetos de lei do PPAG e do Orçamento Anual do Estado. No balanço final, as quatro audiências reuniram mais de 800 pessoas e registraram 362 propostas.

Presenças - Deputados André Quintão (PT) e Carlin Moura (PCdoB).

Fonte: Com informações da Assessoria da ALMG

15 de novembro de 2010

Serro e Couto de Magalhães de Minas: criação e ampliação de unidades de conservação

A criação do monumento natural e a ampliação dos parques permitirão a formação do sistema de áreas protegidas, que garantirá a proteção de áreas de significativa importância ecológica e paisagística


Foto:
Cachoeira do Crioulo, no Parque Estadual do Rio Preto

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) realizará, entre os dias 16 e 18 de novembro, na região do Alto Jequitinhonha, três reuniões de esclarecimento à comunidade local sobre a proposta de criação do Monumento Natural Estadual Várzea do Lageado e Serra do Raio e da ampliação dos Parques Estaduais do Rio Preto e do Pico do Itambé. As reuniões serão promovidas nos municípios de Serro e Couto de Magalhães de Minas.

Durante os encontros, os representantes das comunidades, instituições públicas e privadas poderão conhecer os projetos e esclarecer dúvidas sobre as unidades de conservação. Os documentos técnicos que subsidiam a criação e ampliação das unidades estão disponíveis para consulta pública na página do IEF na internet. As informações também se encontram à disposição dos interessados na sede do IEF, na rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/n, Edifício Minas, 1º andar, bairro Serra Verde, em Belo Horizonte, e nas prefeituras de São Gonçalo do Rio Preto, Santo Antônio do Itambé e Serro.

A criação do monumento natural e a ampliação dos parques permitirão a formação do sistema de áreas protegidas, que garantirá a proteção de áreas de significativa importância ecológica e paisagística. Nelas podem ser encontrados remanescentes de campos cerrado e rupestre e de Mata Atlântica. A área é também detentora de grande quantidade de nascentes que abastecem as bacias dos rios Araçuaí, Doce e Jequitinhonha.

Pelas propostas, o Monumento Natural da Várzea do Lageado e Serra do Raio terá 2.199 hectares. Já a área do Parque Estadual do Rio Preto passará dos atuais 12.185 hectares para 32.496, enquanto a do Pico do Itambé será ampliada de 6.520 para 10.834 hectares. “A ampliação dos parques também permitirá maior proteção a áreas que atualmente estão incluídas nas Áreas de Proteção Ambiental (APAs) Estadual das Águas Vertentes e nas municipais Felício e Rio Manso. Também permitirá a formação de um corredor ecológico entre as unidades de conservação”, afirma a gerente de Criação de Áreas Protegidas do IEF, Mariana Gontijo.

Já o local indicado para ser transformado no Monumento Natural da Serra do Raio e Várzea do Lageado, representa uma área de grande importância paisagística e ambiental para os habitantes da região. A beleza cênica do local proporciona um grande apelo turístico, além de abrigar importantes nascentes que abastecem as comunidades de Capivari, Vau e São Gonçalo do Rio das Pedras. Diversos sítios de interesse paleontológico, contendo pinturas rupestres, podem ser encontrados nas lapas da região, por onde passaram, na época colonial, os viajantes que percorriam a Estrada Real com destino ao Arraial do Tejuco, atual Diamantina.

Caso sejam efetivadas as propostas, as áreas protegidas em questão terão terrenos nos seguintes municípios: Serro, Santo Antônio do Itambé, Serra Azul de Minas, São Gonçalo do Rio Preto, Couto Magalhães de Minas, Rio Vermelho, Felício dos Santos e Diamantina.

Conheça abaixo, o calendário e os locais das reuniões de esclarecimento público:

Reunião de esclarecimento sobre a criação do Monumento Natural Estadual Várzea do Lageado e Serra do Raio
Data: 16 de novembro, às 17h.
Local: Centro Cultural de Milho Verde, Serro/MG.

Reunião de esclarecimento sobre a ampliação dos parques estaduais do Pico do Itambé e do Rio Preto
Data: 17 de novembro, às 14h.
Local: Câmara Municipal do Serro.

Reunião de Esclarecimento sobre a ampliação dos parques estaduais do Pico do Itambé e do Rio Preto
Data: 18 de novembro, às 14h.
Local: Câmara Municipal de Couto de Magalhães de Minas

Fonte: Com informações do Farol Comunitário

12 de novembro de 2010

Estudante Ana Argento expõe na Argentina sua experiência com o Festivale

Segundo Ana seu trabalho não foi entendido apenas como pesquisa, mas também uma experiência que marcou sua vida pessoal e acadêmica. Sobre o ato de expor seu trabalho neste encontro internacional

A argentina Ana Argento Nasser participou das atividades do Programa Polo Jequitinhonha no ano de 2009 durante um programa de intercâmbio. Ana é formada em comunicação e cursa licenciatura na Universidad Nacional de Córdoba, e participou das atividades para a formação da "Assessoria de Comunicação do 27° Festivale", realizado em Grão Mogol. O projeto incluia a participação de jovens da região no trabalho de comunicação, possibilitada por oficinas formativas ministradas pelo Polo e pela Associação imagem Comunitária. Estes jovens, posteriormente, colocariam em prática o que foi aprendido nas oficinas durante o trabalho na assessoria.(Foto:Ana Argento em frente ao pôster apresentado)

Toda a vivência durante a integralização deste projeto, com jovens do Vale e a população local, gerou um trabalho onde é abordada a Comunicação Popular. No trabalho, Ana destaca a importância da comunicação e da sua democratização para grupos sociais sem grande visibilidade e a margem dos processos midiáticos. Ela destaca também o quão interessante é prover estes grupos das práticas comunicacionais, resultando em informação com expressão, sentimento e idéias de originalidade única. Ana revela os desafios na formação dos jovens, tendo como premissa o direito a se comunicar, e a metodologia aplicada para a satisfação desses objetivos.

Buscando dar maior visibilidade a este grande evento cultural que é o Festivale, o projeto em que Ana se inseriu trabalhou para diagnosticar públicos e planejar a comunicação e a divulgação do evento, outro ponto bem detalhado no trabalho apresentado na "XVIII Jornada de Jovens Investigadores", organizada pela Associação de Universidades do Grupo Montevidéo (AUGM). Este encontro aconteceu na Universidad Nacional del Litoral, na cidade argentina de Santa Fé, durante o período de 7 a 9 de outubro de 2010. O trabalho teve como título "COMUNICACIÓN: TENSIÓN ENTRE LO TRADICIONAL Y LO MODERNO. EXPERIENCIA EN BRASIL."



Em uma pequena entrevista concedida por Ana, ela nos revela o porquê do título: "As tensões entre o moderno e o tradicional de que fala meu trabalho é porque ocorreram duas principais: a primeira tensão nas oficinas com a equipe da AIC e do Polo a gente proveu aos jovens da região, uma tensão entre seus conhecimentos prévios e os ensinados naquela oficina (...) A outra tensão forte que eu vi, foi a utilização da técnica numa região estigmatizada pela pobreza. Aprendi muito do intercambio com as pessoas do lugar, do carinho deles, e também como a pobreza não pode ser medida só pelo dinheiro. O Vale tem verde, versos, vida e viola e pessoas que lutam pelo que mais querem: sua cultura e sua identidade. E na Assessoria de Comunicação nós provemos um espaço de democratização da informação para onde os jovens moradores desse lugar pudessem expressar o que eles achavam da sua realidade mediada pelo Festivale".

A recepção do trabalho foi positiva por parte dos participantes do encontro. Estudantes brasileiros que prestigiaram a apresentação deste trabalho destacaram a importância de promover a cultura popular do Vale e do Brasil. Segundo Ana seu trabalho não foi entendido apenas como pesquisa, mas também uma experiência que marcou sua vida pessoal e acadêmica. Sobre o ato de expor seu trabalho neste encontro internacional, Ana diz que compartilhar este tipo vivência é a maior riqueza de um intercambista.

Fonte: Com informações da UFMG



Noticias atualizadas em sua pagina na web

Radio de Virgem da Lapa na internet

Ouça a radio Morada Fm acessando o site Morada fm ao vivo